Fases

Na primeira vez foram os olhos que tropeçaram e encabulados saíram de lado, desviando do azul que seus olhos esbanjavam

Na segunda vez foram as mãos atrapalhadas que sentiram nas suas mãos a segurança de um lugar bom

Na terceira vez foram os beijos tímidos de quem tem sede e fome, mas mente, mente devagar que não sente, até não ter mais porque mentir

Nem ter mais porque contar, apenas sente, com os olhos, e com as mãos, com a fome e com a sede, até que a soma de dois seja o resultado da mais pura realização

Meu mundo

As pontas dos dedos na minha nuca desenham um caminho que percorre meu pescoço, deixando um rastro quente que vai descendo, levando até meu colo onde os dedos repousam num lugar onde o coração bate acelerado, desejando cada vez mais. E minhas mãos encontram estes dedos e os abraçam como um polvo feroz faria agarrando sua presa. Te mostro outro caminho, abrindo espaço entre meus seios, descendo cada vez mais onde eu te mostro um lugar onde apenas eu moro, onde todo o desejo do mundo se encontra e pede que este lugar, este mundo seja apenas seu por alguns instantes, aqueles instantes onde eu estarei inteiramente entregue ao seu toque, e que deixarei de ser rainha pra me tornar uma súdita, nesse momento meu mundo todo está em suas mãos.