Fases

Na primeira vez foram os olhos que tropeçaram e encabulados saíram de lado, desviando do azul que seus olhos esbanjavam

Na segunda vez foram as mãos atrapalhadas que sentiram nas suas mãos a segurança de um lugar bom

Na terceira vez foram os beijos tímidos de quem tem sede e fome, mas mente, mente devagar que não sente, até não ter mais porque mentir

Nem ter mais porque contar, apenas sente, com os olhos, e com as mãos, com a fome e com a sede, até que a soma de dois seja o resultado da mais pura realização