Poeira interestelar

Olhando para espelhos sujos e quebrados, me vi assim, faltando um pouco de mim.
Lembrei de uma professora de filosofia que disse que o homem pós moderno está fragmentado.
Este homem fragmentado, que é pó de estrela, o homem que ao mesmo tempo que é nada, também é tudo. Já ouviu Tim Maia hoje?
Tem dias que sinto a luz de mil estrelas em mim, tem dias que eu apenas não sinto. E acho que todo mundo, em algum momento, se sente assim, pois cada um de nós é feito de poeira interestelar, e estamos todos muito, muito longe de casa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s