Tu vens

De repente começa a tocar Anunciação e aí não resta uma pessoa sentada, é um grande Tu Vens de todos os lados, pessoas sorrindo e quadris balançando. Não há espaço para julgamentos. Uma mão segura o copo de cerveja no alto, a outra vibra no ar sentindo a pulsação das veias que correm o sangue quente no corpo. São as paixões que vêm de dentro, sabe? Eu sei que você sabe.
E os músicos, como os músicos percorrem as nossas células, invadem sem saber que possuem a permissão para entrar, a alma convida porque conhece os sinais, os sinais que a música entrega sussurrando no ouvido, e eu sem duvidar, também danço, me entrego, vou contra e a favor do vento, balanço o vestido, balanço o coração, e ele, ele sabe, ele me contou, eu não sou da dança, eu sou do ritmo, por que sou como meu coração que pulsa forte a cada batida do tambor e flui com a leveza do som.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s