Saber voar

Uma vez eu sonhei que estava voando. Voando mesmo.
E eu acordei com a sensação de ter voado de verdade, mesmo sem saber como é voar.

Fiquei pensando nesse sonho enquanto eu rabiscava umas linhas num papel branco. A ponta do lápis meio áspera sobre a folha, os riscos sem sentido, a tentativa de um desenho que eu não vou saber desenhar. Rabisco mesmo assim.

Talvez a vida toda seja assim. A gente acha que sabe, na verdade não sabe. Não tem ideia de como é, e sonha assim mesmo. Sonha com essa história de tocar o céu com as pontas dos dedos, de pisar no fundo do mar, dançar com o vento e ficar na chuva mesmo sabendo que vai se molhar.

Eu acho que é assim. Uma hora ou outra você vai acabar olhando nos olhos de alguém e vai ter certeza que você pode voar, e você vai sentir de alguma forma, depois de olhar nesses olhos, que talvez voar nem seja tão bom assim, talvez o que seja bom de verdade é olhar nos olhos certos, os olhos que também acreditam que você pode voar, os olhos de alguém que quando sonha, também voa por aí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s