Dois pra lá dois pra cá

Saí pra dançar e perdi meu lugar no mundo
Fui ver o amor lá fora e agora ninguém me deixa entrar
Não tenho o tamanho de ninguém
Meu riso é frouxo e essa gente é contida
Meu abraço é apertado e eles só sabem acenar
Meus olhos marejados não encontram um lugar pra navegar
Sigo assim, dois pra lá, dois pra cá, sem tamanho, sem medida, de vez em quando achando encaixe em abraços tão perdidos quanto os meus. Deixando meus olhos mergulharem em outros olhos marejados, e assim vou cedendo à doçura de quem também não tem medida, de amores tão bonitos e perdidos, amores que também não têm lugar, amores que dançam soltos e riem de um jeito gostoso, amores que um dia serão dois pra lá, dois pra cá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s