Das histórias que não conto

Que medo de ser como os livros que eu tenho na minha estante

Esses livros com dedicatórias cheias de afeto, livros com mais histórias do que as propriamente escritas em suas páginas. Páginas folheadas e devoradas por mim

Capítulos repletos de promessas que eu mesma fiz e não cumpri

As histórias que poderiam ter encontrado outros olhos, outras mãos, outros sorrisos e emoções, estas histórias se fecharam, voltaram para a minha estante

As histórias que eu sei de cor e que levam um pouco de mim, guardadas, escondidas, seguras, à salvo dentro de livros enfileirados numa estante amarela

Minha vida, um pouquinho dela, uma dedicatória emocionada, ninguém pra ler. Ninguém além de mim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s