Celebro o acaso

Tem quem chame de destino.
Há os que chamam de coincidência e os que fazem cálculos e dão o nome de probabilidade.
Eu prefiro chamar de acaso todos os pequenos dissabores, cada pequeno caos que por ventura há de nos unir, assim, por acaso, em qualquer momento da vida, numa esquina, num bar, na correria do metrô, por anos a fio, desenhando algo que só há de se descobrir no final, se um final existir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s